Florbela Espanca

julho 23, 2005

Já que eu não tenho nada pra escrever (tenho muitas coisas na cabeça, mas não estou conseguindo colocá-las no papel ou na tela) vou colocar aqui um verso da escritora portuguesa Florbela Espanca (1894 – 1930). Eu não conhecia seus escritos, mas agora que estou começando a conhecer, estou gostando muito.

“… O meu Mundo não é como o dos outros, quero demais,
exijo demais, há em mim uma sede de infinito,
uma angústia constante que nem eu mesma compreendo,
pois estou longe de ser uma pessimista.
Sou antes uma exaltada, com alma intensa, violenta,
atormentada, uma alma que não se sente bem onde está,
que tem saudades… sei lá de quê!”

Florbela Espanca

Anúncios