Um brinde a tudo que é simples

junho 15, 2007

É mesmo inacreditável, mas já haviam inventado o beijo antes de existir Close’Up Liqui Fresh ou Listerine Cool Mint.

O pôr-do-sol já tinha 18792871029 cores antes da LG lançar sua nova TV plasma de 18792871029 cores.

Os homens já babavam pelas mulheres antes de existir lipoaspiração e as mulheres (ainda) se achavam lindas antes de existir Gisele Bündshen.

Por alguma razão misteriosa, muitas pessoas eram dedicadas no trabalho antes de existir dinheiro e mais bizarro ainda, é que elas descansavam antes mesmo de inventarem os feriados.

As crianças obedeciam aos pais antes da história do papai Noel, e os pais tinham paciência com seus filhos mesmo tenho uma dúzia deles.

Por que será que hoje a vida precisa de tanta maquiagem pra ser bela? Será que por si só ela já não é um espetáculo?

Por que o maior desejo de um deficiente físico é andar pela cidade? E o maior sonho de um cego é ver a cor do céu?

O que faz um jovem viúvo chorar só por não poder mais andar de mãos dadas? E qual a causa de um filho sentir remorso por ter dado um toque carinhoso somente no velório de seu pai?

Será que só damos valor a algo que perdemos? Ou perdemos a simplicidade de dar valor às coisas mais simples da vida.

Não espere um dia chuvoso para valorizar o sol, ou um verão intenso para apreciar a brisa.

Não espere uma despedida para demonstrar carinho.

Não espere um elogio para se sentir bem, nem algo extraordinário para elogiar alguém.

Não espere as férias para visitar sua família ou passear com amigos.

Não espere uma pessoa perfeita para amar.

Não espere a vida passar para perceber que a cada minuto vivido é um milagre de Deus pra você.