nascer, crescer, se reproduzir e morrer

Eu me lembro até hoje daquela página da apostila de ciências do primeiro ano do ensino fundamental que dizia assim: O ciclo de todo ser vivente é nascer, crescer, se reproduzir e morrer. Uma frase bem simples, pra explicar para as crianças que há mudanças no decorrer da vida e há também o fim da vida.
Mas essa visão simplista da vida não está só nos livros do ensino fundamental, está arraigada até hoje na mente da maioria das pessoas. As pessoas, de maneira geral, acreditam que tudo um dia acaba e nesse meio tempo, entre a vida e a morte, temos que fazer alguma coisa que dê significado, que traga alguma conquista, que deixe alguma marca, algo que faça esse curto período chamado “vida” valer a pena ser vivido.

Uns focam na carreira profissional, outros em busca de algum sonho, como conhecer o mundo ou ter o máximo de experiências diferentes, uns procuram viver seguindo seus instintos indiscriminadamente, outros vivem com medo da morte e passam o tempo todo preocupados, há ainda os que preferem não fazer nada, já que tudo vai acabar um dia.
Dentre esses todos, há os teístas e os ateus. Grande parte dos teístas acreditam em algum ser ou energia que vai trazer sorte, proteção e forças para que sua maneira de viver dê certo.

Eu creio que nós fomos criados para propósitos eternos, creio no Deus da Bíblia, que enviou seu Filho Unigênito para se encarnar e morrer neste mundo.
Não faz sentido acreditar que Jesus Cristo, a segunda pessoa da Trindade Divina, tenha deixado a glória eterna e inescrutável, nascer neste mundo e se entregar à morte, só para que eu tenha mais “sorte” nos meus planos para esta vida.

Creio que a totalidade dessa obra de encarnação, morte e ressurreição do Deus Filho, é muito maior do que a compreensão humana, mas uma coisa é certa: não tem como finalidade “dar uma força” na realização dos meus sonhos particulares para esta vida, ou mesmo ser apenas um exemplo de bondade e humildade.
Seria ridículo pensar assim, reduzir a obra de Cristo, a essas coisas tão pequenas. Não foi um ato heroico ou um martírio, pois isso muitos homens poderiam fazer, mas foi algo que abalou as estruturas do Universo.

Mas quantos ainda pensam na vida como o ensino de ciências do primeiro grau! Focados apenas nessas pequenas coisas que acontecem entre nosso nascimento e morte nesse mundo. Até nós que cremos na Bíblia, também somos tentados a viver assim, pois nossos cinco sentidos são estimulados diariamente nessa realidade terrena, das coisas passageiras.
Digo pequenas coisas não por serem sem significado, eu creio que todos os acontecimentos aqui tem um valor e um significado, e a Bíblia mostra do começo ao fim, que Deus se manifesta em vários aspectos do nosso viver, da nossa história aqui, mas nosso foco não pode estar só nessa vida, como se ela fosse um objetivo em si mesma, porque as coisas aqui se tornam realmente pequenas se comparadas aos propósitos eternos da Criação.

Portanto, diante de cada situação da nossa vida, devemos estar diante de Deus e da Sua Palavra, pedindo direção e revelação, para que cada passo aqui, reflita os propósitos eternos Dele.

Porque Dele, por Ele e para Ele, são todas as coisas; glória pois, a Ele eternamente. Amém.
Romanos 11:36

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: