setembro 4, 2015

Deus não é uma retórica ou filosofia, Ele é real é ativo, é fogo consumidor. Tudo no universo existe e se move Nele.
É incrível pensar que o grande EU SOU, que sempre existiu e que se basta, decidiu criar o homem para se relacionar.

De igual modo, é incrível pensar que o homem – este ser tão pequeno diante das bilhões de galáxias e tão dependente e frágil, que não sobrevive poucos minutos na falta de simples moléculas de O2 – tenha tamanha altivez de se achar independente de Deus, a ponto de dizer que “matou Deus” como alguns dizem de Darwin, só porque ele elaborou uma delirante TEORIA.

Entre os teístas, gnósticos e ateus, existe também a grande porção dos que “se abstém” de questões espirituais e os agnósticos. Como se o não considerar Deus, pudesse “neutralizá-Lo”. Esse comportamento se vê inclusive em muitos religiosos nominais, e também os chamados “não praticantes”. Como se Deus fosse um esporte, que só existe na sua vida se você o pratica. São aquelas pessoas que nunca param pra pensar em nada, só quando precisam preencher alguma pesquisa, e marcam um x no quadradinho “cristão” ou qualquer outra coisa, quando lhe perguntam a religião.

Esta é a blasfêmia das blasfêmias; ignorar que existe um propósito para a existência do universo, da vida, da humanidade, e esse propósito não sou eu, mas a manifestação do Deus vivo.
Um Deus que decidiu na eternidade, a criação e a redenção da criação, já que ela só seria perfeita se fosse aperfeiçoada Nele mesmo. É este o Deus que as pessoas ignoram, um Deus que deixou uma glória inefável, acima de qualquer entendimento e imaginação humana, e se encarnou em forma de homem.

Você consegue imaginar que O Criador do universo deseja tanto se relacionar com sua criação, que decidiu usar fraldas, crescer como uma criança comum, passar pela puberdade e por fim ser terrivelmente humilhado, traído e torturado até a morte?
Como ser indiferente a isto? Ou como limitá-Lo à algumas horas de reflexão dominical?

Será que é tão difícil ver que a vida tem um propósito e um significado maior do que um bom emprego, uma casa confortável e diversão?

Se alguém me perguntasse se eu não me canso de pensar em Deus, eu responderia que, se um dia isso acontecesse, poderia dizer que finalmente teria desistido da vida. Porque eu simplesmente não consigo ver nenhum sentido para tudo isso, se não for Deus. Alguns podem dizer que querem viver e “deixar algum legado para o mundo”, mas de todas as trilhões de pessoas que já passaram por aqui, você pode se lembrar de quantos nomes realmente relevantes até hoje? E todos eles, já estão ou estarão dentro de poucos anos com os corpos decompostos e nunca saberão “a marca” que conseguiram deixar.

Nós sabemos que a busca por sucesso, estabilidade, paixões ou qualquer outra coisa não satisfazem o homem. Sempre vemos notícias de pessoas que conquistaram fortunas e legiões de admiradores se suicidando. Aliás, os países com maiores índices de qualidade de vida estão na lista dos campeões de suicídio. Talvez porque lá eles não tenham a ilusão de que no dia em que conquistarem isso e aquilo, serão felizes e satisfeitos, eles já tem tudo e continuam vazios, não restam mais ilusões e então se matam.
O vazio que existe no coração humano é do tamanho do universo, nenhuma pessoa, nenhuma religião ou filosofia, nem nada desse mundo pode preencher, só o próprio Deus. Por isso Ele quis nos reconciliar com Ele através de Jesus Cristo.
A eternidade está no coração do homem, é inútil tentar negar.  Até os ateus demonstram isso quando se mostram tão incomodados com os teístas. Se eles tivessem tanta tranquilidade, certeza e paz em relação a isso, ficariam completamente indiferentes aos religiosos que supostamente perdem seu tempo com coisas imaginárias.

Não perca seu tempo tentando encontrar o propósito e significado de sua vida em coisas daqui, nem crie expectativas de que algum ser humano vai torná-lo completo. Você foi feito para Deus e só Ele pode lhe satisfazer. E então, todas as coisas e todos os relacionamentos ganharão uma nova dimensão.